Protection4kids participou às “aulas de lockdown #1” com Juanita Headley, uma speaker internacional que fala sobre o tráfico de seres humanos, a exploração de crianças e o abuso sexual. Licenciada em Direito pela Universidade de Teesside, em Tees Valley, ela é uma advogada, apaixonada e constantemente comprometida com os pobres, escravizadas e exploradas sexualmente. Ela passa o tempo a oferecer-se para uma organização cristã, em Trinidad e Tobago, India e Filippine. Além disso, está à procura de uma oportunidade patrocinada pelo H1B para servir as comunidades americanas e asiáticas. Como já disse durante a lição “eu trabalho gratuitamente”.

Nesta lição, vimos um vídeo muito interessante sobra uma menina salva por o destino cruel do tráfico humano. No início, a criança inocente está brincando em seu quarto. Ela está calma e feliz com a sua vida normal.

Em seguida, ela está na rua com a sua mãe que é uma prostituta. Um homem chega no carro: podemos imaginar que ele é um dos clientes de sua mãe e que ele quer fazer sexo com elas.

No final do clipe, vemos novamente a menina brincando no seu quarto e, de repente, um fogo irrompe na casa. Felizmente, chega um outro homem que a leva para fora. Aqui, nós os vemos saindo daquela casa que é, na verdade, uma cabana em chamas no meio de uma rua isolada.

Este vídeo quer dar às pessoas uma mensagem clara e enorme: como, em vezes, uma criança pode facilmente mudar de jogos de jovens para a prostituição e que, através de ajuda suficiente e adequada, pode ser salva.

Durante esta aula, também analisamos o que torna uma pessoa vulnerável (à idade, gênero, saúde mental, dependência de drogas, falta de educação, baixa autoestima, família monoparental, deficiência, poucos amigos, pobreza, abuso…); sabemos os sinais de identificação que podem ser vistos em uma vítima de abuso sexual (isolamento, insônia, promiscuidade, obesidade, ser defensivo, inseguro, tímido…) e como se comportar com eles. Primeiro, devemos deixá-los falar e acreditar no que eles dizem, mesmo que mintam. Se eles não quiserem falar, vamos estimulá-los criando uma relação confidencial e fazendo-lhes uma série de perguntas precisas. Finalmente, temos que chamar a polícia.

Sem dúvida a lição foi interessante e salientou a importância de conhecer essas situações realmente problemáticas para buscar juntos ajuda e soluções.