“Noemi tem 19 anos e uma noite a encontramos numa estação de serviço vazia, onde ouve música com os auscultadores enquanto espera pelos clientes. Ela conta-nos que está pela rua há cerca dum ano e que levará pelo menos mais dois anos de trabalho na rua para pagar a sua dívida (em média empregam 2-4 anos). Quase todas as meninas conseguem salvar algum dinheiro por mês para enviar à família (quem envias 50 euros, outros 200): muitas vezes têm irmãos mais jovens que desta forma conseguem garantir uma vida mais digna do que eles tinham, e talvez permite que recebam uma educação. Noemi tem olhos grandes, tristes, loucos. Ela diz-nos (ela fala apenas inglês) que está bem para ela estar lá, “é uma forma de vida” diz… mas o grito do seu olhar comunica mais: solidão e desespero. Mas os Nigerianos amam a vida, quando uma amiga dela se junta a nós no passeio, começam a dançar ao som da música, rir e brincar. Noemi mostra-nos um crucifixo escondido sob sua jaqueta e dez que é cristã. Ela também diz que sabe cantar: temos os tremores quando ela canta algum gospel cristão com a sua voz de anjo, naquele distribuidor vazio.”

https://www.globalist.it/news/2018/12/30/storia-di-maddalena-e-delle-ragazze-vittime-della-tratta-di-esseri-umani-2035537.html

Neste blog estamos conhecendo e refletindo sobre histórias de meninas vítimas de prostituição. Algumas histórias têm finais felizes, outras infelizmente trágicas. A história de Noemi não é feliz, mas há um vislumbre de luz nele quando conta da sua paixão pelo gospel com o qual ela expressa sua fé, apesar de sua situação que não tem nada de positivo. É por isso que chamamos “heróis anti-tráfico” figuras como Noemi, porque eles conseguem avançar em situações que não têm futuro.

É também correto recordar os dados estatísticos das vítimas: em Itália as vítimas de tráfico são cerca 120 mil, com um número estimado de clientes de 3 milhões de pessoas. O volume do dinheiro é de 90 milhões de euros por ano. 37% das prostitutas têm entre 13 e 17 anos, portanto menores. No mundo, em vez são estimados em total 21 milhões de pessoas que se prostituem. Entre eles,18% são homens, 12% meninos, 21% são meninas. Todos dados escandalosos, mas infelizmente verdadeiros.